Atento a diminuição da capacidade do Lago de Sobradinho, Secretário de Agricultura alerta a população ribeirinha

Segundo a última atualização da Chesf- Companhia Hidro Elétrica do São Francisco, do dia 27 de junho, o lago de Sobradinho está com sua capacidade menor que 58%, e com previsão de que diminua ainda mais, já que há pouca probabilidade de chuvas. Além disso, a decisão da ONS- Operador Nacional de Sistema Elétrico, é de aumentar a vazão da hidrelétrica de Xingó, o que ocasionará uma maior captação de águas do lago de Sobradinho para alimentar o sistema hidroelétrico.

Com isso, a Prefeitura de Sobradinho, através da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, alerta agricultores e piscicultores do município para a crescente diminuição no nível do lago de Sobradinho que desde o início do ano já recuou mais de 100 metros, e também adverte toda a comunidade para a importância da moderação no consumo de água.

“A crise hídrica no Brasil é um assunto que preocupa a todos. Em todo o país inúmeros reservatórios de água como o lago de Sobradinho veem os níveis das águas baixarem, e isso afeta principalmente as comunidades ribeirinhas e as famílias de pequenos agricultores e piscicultores que sobrevivem do que colhem ou pescam. Nós, da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente de Sobradinho, estamos constantemente atentos as atualizações do ONS, sobre o aumento da vazão das barragens da bacia do rio São Francisco, e prontos para adotar providências que minimizem os prejuízos para os produtores ribeirinhos, uma vez que a queda nos níveis do lago termina por gerar despesas para pequenos agricultores locais”, informou o Secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Jarques Canturil.

O agricultor Ermi Souza já demonstra preocupação com a situação do nível do lago.“Caso o rio continue a baixar vai ser necessário comprar canos para construção de canais de aproximação”, disse o agricultor.A preocupação dos agricultores também é compartilhada pelos piscicultores locais que temem a aumento de gastos, caso seja necessário a locomoção dos tanques de tilápias para pontos mais profundos do lago.

“A Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente está de prontidão para apoiar os piscicultores e agricultores locais, nós trabalharemos na escavação e limpeza de canais de aproximação, assim como, no subsidio de energia. No entanto, além desses, são muitos os problemas que a queda nos níveis da barragem gera, pois se enfrenta aumento de custos e queda nos lucros, e isso querendo ou não acaba por contribuir para um aumento nos preços de alguns produtos agrícolas consumidos por toda a população. Tudo isso termina por dificultar o acesso de muitas pessoas à alimentação”, alertou o Secretário de Agricultura e Meio Ambiente, Jarques Canturil.

Os agricultores e piscicultores reivindicam que a Chesf garanta que o nível da água não vai ser menor que 30%, para que não haja grandes prejuízos para suas atividades produtivas.

“Cerca de 4 mil agricultores e 400 piscicultores dependem diretamente das águas do lago para seu sustento, e o que eles precisam é de uma garantia da Chesf de que o nível das águas não vai ser menor que os 30%, pois isso é uma grande preocupação para todos. Como gestão municipal apoiamos os agricultores e reivindicamos maiores esclarecimentos e garantias de que haverá um cuidado com a população ribeirinha”, finalizou Jarques Canturil.

A situação do lago foi objeto de matéria do Jornal Hoje, da Rede Globo, que ouviu produtores e representantes da companhia.

Ascom PMS